sábado, setembro 15, 2007

Sub-19



Dragões empatam em Matosinhos
Terminou empatado a um golo o encontro entre Leixões e F.C. Porto, referente à quinta jornada do Campeonato Nacional de Juniores A. Mohamed foi o autor do remate certeiro dos portistas, que voltaram a evidenciar qualidade de jogo, em nova exibição promissora.
O encontro foi disputado no Estádio do Padroense, em Matosinhos, com as duas formações em busca do triunfo na partida, que terminou empatada a um golo.
Na próxima ronda da competição, os jovens Dragões recebem a formação do Varzim, em partida agendada para o próximo sábado, dia 22 de Setembro.
in site oficial do FC PORTO
FICHA
Leixões:Jorge, Magalhães, Tiago, Luís, Madureira, Oliveira, Gonçalo (Sá, aos 78 minutos), Simões, Cacheira, Arsénio (Óscar, 60) e Serrano (Daniel, 66).Treinador: Joaquim Sousa
FC Porto:Ruca, Valter, André Pinto, Tengarrinha, Maringá, André André, Jorge Chula (Mohamed, 56), Graça, Caetano (Marlon), Joni e Marco Aurélio (Elísio).Treinador: Patrick Greveraars
Árbitro: Fernando Nunes, do Porto.
Jogo disputado no sintético do Padroense FC, em Matosinhos.
Ao intervalo: 0-0. Marcadores: Mohamed (59) e Luís (86). Cartões amarelos: Madureira (17), Luís (55) e Graça (90+1).
in o Norte Desportivo

13 Comments:

Anonymous Anónimo said...

0-0 com o leixoes.
2º empate, as coisas nao estao faceis

11:23 da tarde  
Blogger Madjer said...

LEIXÕES, 1 – FC PORTO, 1
PONTO JUSTO SEGURA LIDERANÇA
Um Leixões guerreiro, mas nem sempre prático no ataque, conseguiu ontem, com justiça, «selar» o empate frente ao FC Porto. Um ponto preciso que mantém os matosinhenses no primeiro posto da Zona Norte do Nacional de juniores.


Isabel Pinto
isabel.pinto@onortedesportivo.com

Leixões e FC Porto empataram ontem, a 1-1, na quinta jornada da Zona Norte do Nacional de juniores, um resultado mais penalizador para a formação «azul e branca», que deixa a vice-liderança da classificação.
Numa partida disputada sob intenso calor, a primeira oportunidade real de golo foi criada pela equipa da casa, quando Arsénio tentou fazer o chapéu a Ruça e atira a bola para fora.
O FC Porto respondeu aos 17, num cabeceamento de André Pinto, que o guarda-redes Jorge sacudiu para a frente, onde surgiu Jorge Chula a fazer a recarga, valendo o posicionamento de Gonçalo na área, que assim evitou o golo. A equipa «azul e branca» voltou a criar algum perigo aos 26, na sequência de um livre, com Maringá a atirar em força, mas ligeiramente para fora.
O Leixões afastou a pressão do adversário e, por duas ocasiões, aos 28 e aos 35, Cacheiro esteve perto de fazer o golo, mas os remates não tiveram o fim desejado.
Antes do intervalo, o FC Porto voltou a crescer na partida e podia ter feito bem melhor, mas Caetano, aos 41, atirou ao lado, e depois Joni, aos 44, com Marco Aurélio e Maringá isolados na esquerda, optou pelo remate e atirou para fora.
Estavam decorridos 14 minutos da segunda parte quando a igualdade no marcador foi desfeita. Entrado na partida há apenas três minutos, Mohamed foi decisivo, respondendo bem a um cruzamento de Marco Aurélio, na esquerda.
O Leixões não baixou os braços, mas a batalha era travada com mais coração do que com cabeça. Exemplo disso, a grande perdida aos 64, quando Gonçalo e Cacheiro encetam o contra-ataque combinado, mas atrapalharam-se na área, quando em superioridade numérica.
Nesta altura, o FC Porto não conseguia responder com perigo, até que, após uma boa oportunidade criada por Gonçalo, que, contudo, falhou golo quase certo, o Leixões restabeleceu o empate. Aos 86, após canto na direita, Luís, ao segundo poste, saltou mais alto que toda a gente e fez o 1-1.
O encontro decaiu um pouco de qualidade até aos minutos finais, sem outros momentos dignos de registo, sendo, contudo, de registar que a igualdade acaba por ser o resultado mais justo.

--------------------------

JOAQUIM SANTOS
CRIÁMOS AS MELHORES OPORTUNIDADES
O treinador do Leixões, Joaquim Santos, enalteceu a humildade e espírito de luta da equipa que orienta, bem como o facto de, ante o FC Porto, ter sido a melhor equipa.
“A primeira e melhores oportunidades foram nossas, mas não conseguimos concretizar e o FC Porto, através de um cruzamento, faz um golo. sabemos o valor do adversário e o nosso, mas também que podíamos fazer mais. Era uma questão dos jogadores acreditarem. Nunca é fácil jogar contra uma equipa como o FC Porto, mas os jogadores do Leixões não são inferiores e disputaram o jogo de igual para igual”, apontou, a O NORTE DESPORTIVO, admitindo algum demérito dos leixonenses no ataque, tendo em conta que são a equipa com mais golos marcados no Campeonato: “Houve mérito da defesa do FC Porto, mas tendo em conta as oportunidades que tivemos, houve demérito da nossa parte. Precisávamos de um pouco mais de tranquilidade e, aí, talvez o resultado tivesse sido outro. Falhámos hoje, vamos concretizar noutro dia, com certeza”. Assim, Joaquim Sousa não tem dúvidas ao afirmar que “o empate é um resultado justo, bom para as duas equipas”.

---------------------------

FICHA

Leixões
Jorge, Magalhães, Tiago, Luís, Madureira, Oliveira, Gonçalo (Sá, aos 78 minutos), Simões, Cacheira, Arsénio (Óscar, 60) e Serrano (Daniel, 66).
Treinador: Joaquim Sousa

FC Porto
Ruca, Valter, André Pinto, Tengarrinha, Maringá, André André, Jorge Chula (Mohamed, 56), Graça, Caetano (Marlon), Joni e Marco Aurélio (Elísio).
Treinador: Patrick Greveraars

Árbitro: Fernando Nunes, do Porto. Jogo disputado no sintético do Padroense FC, em Matosinhos. Ao intervalo: 0-0. Marcadores: Mohamed (59) e Luís (86). Cartões amarelos: Madureira (17), Luís (55) e Graça (90+1).
in o Norte Desportivo

12:11 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Treinador do FCP que queira ganhar não deixa o Figueiredo no banco!
E ainda vão buscar um holandês para fazer estes resultados...

8:29 da manhã  
Blogger Madjer said...

Igualdade justa num bom espectáculo


Susana Silva

Leixões1

F. C. Porto1 Local Campo de treinos do Padroense, em Matosinhos Árbitro Fernando Nunes (Porto) Treinador



Joaquim Santos Jorge

Magalhães

Tiago

Luís

Madureira

Oliveira

Gonçalo

(Sá, 79)

Simões

Cacheira

Arsénio

(Óscar, 60)

Serrano

(Daniel, 67) Treinador



Patrick Greveraars Ruca

Valter

André Pinto

Tengarrinha

Maringá

André André

Jorge Chula

(Mohamed, 57)

Graça

Caetano

(Marlon 69)

Joni

Marco Aurélio

(Elísio (88) Ao intervalo 0-0 Golos Mohamed (59) e Luís (88) Cartão amarelo Madureira (16), Luís (56) e Graça (90+1)


Leixões e F. C. Porto empataram a uma bola, numa partida bem disputada. Os matosinhenses entraram bem e assumiram o controlo, tendo maior ascendente atacante, embora com pouco perigo para a baliza de Ruca. Os dragões denotaram algum nervosismo e só a partir dos 20 m é que conseguiram equilibrar, embora tenham criado mais calafrios junto à área adversária. Com o nulo ao intervalo, os portistas surgiram mais afoitos na segunda metade, subiram no terreno e tomaram a iniciativa do jogo, daí resultando o golo de Mohamed, de cabeça (59 m). Nos 15 minutos finais, os locais foram à procura do empate, que surgiu por Luís (88m). Arbitargem regular.
in JN

3:55 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Gostava de saber se sr. afs viu o jogo dos juniores???

2:26 da tarde  
Anonymous afs said...

Não vou fazer o comentário ao jogo dos juniores pois não vi o jogo todo.

3:50 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

RUCA , RUCA , RUCA , RUCA

5:31 da tarde  
Blogger Madjer said...

O RUCADOR voltou.
Voltaste a RUCAR?

5:55 da tarde  
Anonymous Jorge Nunes said...

Estive no jogo Leixões - Porto, em Juniores.
Na minha modesta opinião, foi um jogo equilibrado, com algumas oportunidades para ambas as partes, na 1ª parte (não muitas), com o 0-0 ao intervalo a justificar-se plenamente.
Na 2ª parte, o Porto criou mais oportunidades (lembro-me de 1 bola ao poste e algumas boas defesas de Jorge), Moamed marcou um bom golo,e foi pena que o Porto tenha sofrido o empate a 2 minutos do fim do jogo. Quanto ao Ruca, penso que tendo estado bem durante quase todo o jogo, com algumas intervençôes importantes, teve uma hesitação no lance do golo, tendo por isso responsabilidades, também, no mesmo.
Recordo o lance, canto marcado para a entrada da pequena área, onde apareceu o jogador do Leixões livre de marcação. Ruca deu duas passados à frente e um atrás, hesitando na saída, não tendo depois hipóteses de defender o cabeceamento leixonense.
A haver um vencedor, o Porto fez mais por sê-lo, embora se aceite como justo o resultado. É somente a minha opinião e vale o que vale...

6:58 da tarde  
Blogger Madjer said...

E, eu agradeço o tê-la partilhado connosco.

7:50 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Assisti qo jogo do Porto Leixões, e acho o resultado correcto. Porque uma equipa como o porto nao pode recuar tanto nos ultimos 15 m para defender o resultado.

Ao porto faltou alguem para colocar a bola no chao .

Sr. Patrick o que se passa com O elisio e 1 excelente jogar, nao entendi.

Nao gostei do meio campo, porque falta 1 jogador que tenha mais tecnica .

Acho que porto nao tem o jogador 10.

E a opiniao de 1 adepto do porto que esperava mais desta equipa.

AMVP

11:48 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

porque nao vao buscar o 10??porque emprestaram o josué???por a mor de deus o miudo joga tanto!!força candalll...vamos a 2 fase!!

12:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

o Tengarrinha é um jogador excelente, demonstra sempre muita tranquilidade e para a idade k tem é já um jogador muito maduro e seguro d si. acho k é uma boa aposta do fcporto.

3:12 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home