segunda-feira, outubro 01, 2007

O Comentário de afs

Comentário FC Porto 3 – Espinho 1

A equipa da casa apresentou-se com o seu figurino habitual em 4x3x3, deixando no banco 3 habituais titulares, o Graça, o Mohamed e o Tenga, sendo substituídos pelo Galeão (posição 10), Cintra e Marlon, respectivamente.

GR – Leo
DD – Valter; DE – Carlos Santos; DC – André Pinto e Marlon
MiE – Joni; MiD – André; MO – Galeão
AD – Figas; AE – Marco; PL - Cintra

1ª parte: Sem imprimir grande velocidade ao jogo o FC Porto foi dominando a partida no meio campo adversário. Por volta dos 10 minutos marcou o primeiro golo, após a marcação de um canto com André Pinto a subir mais alto e a bater, de cabeça, o redes adversário. Só dava FC Porto, e o Espinho não saía do seu meio campo, sempre com todos os elementos atrás da linha da bola. Um pouco antes da meia hora, Joni (o melhor da primeira parte) faz um grande golo, após uma bola rechaçada, domina com o peito, junto à quina da área e com um pontapé em balão faz a bola entrar no canto superior esquerdo do redes. Estava feito o 2-0, e tudo indicava que ia ser uma goleada.

Pouco depois e após uma falha de marcação, um avançado espinhense tem uma autêntica auto-estrada para a baliza de Leo, foi só escolher o lado e estava feito o 2-1, no primeiro remate à baliza. Neste período os mais empreendedores foram o Joni e o André. O Figas esteve mais activo que o Marco, embora nem sempre bem.

2ª parte: Mais do mesmo, os portistas a dominar sem criar muito perigo, e o Espinho a defender o resultado como se estivesse a ganhar. Cerca dos 10 minutos surgiu uma novidade, saiu o Figas e o Galeão, e entrou o Graça e o Tenga, respectivamente, e a equipa mudou o esquema para o 4x4x2, com o Tenga a pivot defensivo, André e Graça a médios interiores e o Joni no vertice do losango. Na frente, Cintra e Marco formaram a dupla de avançados móveis. A qualidade de jogo manteve-se, com o Espinho a jogar muito fechadinho cá trás, e o Porto de quando em vez a produzir jogadas mais vistosas e uma ou outra situação de perigo. Posteriormente o Cintra deu lugar ao Mohamed e foi quase no final da partida e após um corte da defensiva contrária que o Marlon encheu o pé, com um remate de primeira que saiu rasteiro, junto ao poste direito da baliza contrária.
Realce para o déficit físico que vários jogadores do Espinho apresentaram nos últimos 20 minutos em virtude do jogo a meio da semana.

Análise individual

Leo – Teve muito pouco trabalho, revelou tranquilidade e segurança nos cruzamentos, apesar do piso escorregadio. Não parece ter qualquer responsabilidade no golo. Fez uma defesa a 2 tempos num dos poucos remates à baliza que o Espinho fez quando ainda estava 2-1.

Valter – A regularidade do costume em termos defensivos, e um ou outro passe errado. No resto esteve igual a si próprio. Na segunda parte e quando a equipa mudou o esquema, soltou-se mais em termos ofensivos.

André Pinto e Marlon – Não foram sujeitos a grande trabalho, mas parece-me que têm estilos demasiados semelhantes para uma dupla de centrais. Revelaram alguma lentidão nos processos de construção. Destaque para o golo que o Pinto marcou.

Carlos Santos – Confesso que não gostei muito da sua exibição, embora não possa dizer que tenha comprometido. Falta-lhe alguma velocidade e audácia ofensiva a que não é alheio o facto da sua posição de origem ser defesa central.

André – Exibição dentro dos seus parâmetros habituais, trabalha muita para a equipa. Nem sempre esclarecido nos passes, nada que beliscasse uma exibição positiva.

Joni – Jogou a interior esquerdo e para ser sincero, foi uma surpresa agradável. Muito em jogo em toda a partida, fez 2 grandes golos de fora da área, se bem que num deles a partida já estivesse interrompida. Muito empreendedor e interventivo, mesmo quando passou para a posição 10. Sem fazer um grande jogo, foi dos melhores da equipa.

Galeão – Perdeu uma oportunidade para mostrar credenciais. Um ou outro bom pormenor, mas no global esteve muito discreto no jogo. Na posição que jogou tem de ser muito mais influente e decisivo no jogo. Foi substituído pelo Tenga.

Figas – Na 1ª parte esteve bem mais activo que o Marco, embora me pareça que muitas vezes não faz aquilo que o treinador pretende que faça. Foi substituído pelo Graça.

Marco – Estranhamente alheado do jogo na primeira parte. Bem mais activo e participativo na 2ª parte. Adaptou-se bem ao 4x4x2 em que fez de avançado móvel.

Cintra – Parece-me que lhe falta alguma confiança. Tanto faz coisas muito bem feitas e à PL, como perde facilmente a bola. Fez um jogo com pormenores à PL, só que tem que ser mais regular e consistente. Teve 2 boas oportunidades de golo, onde revelou alguma precipitação. Foi substituído pelo Mohamed

Graça – Entrou para um novo esquema táctico e esteve igual a si mesmo. Raça e entrega ao jogo.

Tenga – Entrou quase ao mesmo tempo do Graça e o meio campo ganhou qualidade nos processos de construção. Este jogador pode ser um caso sério se cumprir com normalidade as várias etapas que restam da sua formação.

Mohamed – Não tocou muitas vezes na bola, mas ainda foi a tempo de desperdiçar uma boa oportunidade de golo.

MVP: Joni, pela regularidade e pelo golo que marcou.. Embora o André também fosse um candidato.



afs

7 Comments:

Anonymous Joao Pinto said...

adicionem este blog a vossa lista pf

padroense.blogspot.com

12:31 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Deves pensar que sabes tudo.......

10:11 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Volta a não haver comentário ao jogo dos juvenis?

1:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

afs, deixaste de ver os juvenis? vês mas não comentas?
que se passa?

3:58 da tarde  
Anonymous afs said...

Caro anónimo, não assisti ao jogo dos juvenis. Convido quem assistiu a postar aqui um comentário.

4:16 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

zangaste-te com os juvenis?

10:48 da tarde  
Anonymous afs said...

Não. Só que a vida familiar nem sempre o permite, como fácilmente o compreenderão...
Há alguns visitantes deste blog que assistiram. Porque não comentam?

10:17 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home